Busca   
 
Edição 337 - Ano 18 - Maringá, PR 
   Home
   Opinião
   Crítica
   Crônica
   Entrevista
   Reportagem
   Geral
   Artigos & Cia
   Galeria de Fotos
   Edições Anteriores
Em nome do Furo
E o futuro?
A maravilhosa história do pornô moderno

Você está aqui: Home / Reportagem / #48
Maringá tem mais do que apenas música
Conhecida como um celeiro de grupos e estilos musicais, a cidade apresenta outra forma de expressão artística

 Imagem/Felipe Botion
 Além da forma tradicional de publicação, a internet é outra forma de divulgação
João de Castro
Maringá é reconhecida na região e em todo o Estado, como a Cidade Canção. Esse “apelido” ja se tornou um rótulo. Porém, há mais do que apenas música por aqui. Há poetas lançando obras em livros, em blogs e revistas, escritores que não são muito badalados ou reconhecidos pelo grande público de Maringá. Baixa procura da população, falta de incentivos e espaço para divulgação das obras, são alguns dos motivos, segundo os próprios escritores.

“Atualmente, no Brasil, publicar um livro, sobretudo o primeiro, não é tão fácil”, relatou o poeta ivaiporense, Marco Antonio Hruschka Teles, 23, mestrando em Estudos Literários pela UEM (Universidade Estadual de Maringá) e escritor do livro intitulado “Tentação”, lançado no mês de abril em Maringá. Para Teles a poesia é, antes de tudo, sensação. Identificação. “Você só vai gostar de uma poesia se ela significar algo para você”, declarou o escritor.

Segundo Teles, o escritor que tiver a pretensão de lançar um livro precisa sentir confiança no que tem a dizer. “É claro que quem tem ideias deve sempre escrever, passar para o papel, concretizá-las. Entretanto, no momento da publicação é preciso rever, cortar, reescrever.” E continua dizendo que é preciso unir-se a pessoas com sonhos em comum e batalhar por um espaço justo em meio a tanta hipocrisia e pseudo-bom-gosto.

“Dizer-se poeta é algo relativamente simples, pois com algumas rimas pode ser feito um poema. Mas a poesia vai além de meras rimas. É algo muito particular e de interpretações muito particulares. Poesia é arte”, afirma Ederson Hising, 20, estudante do curso de Jornalismo do Cesumar (Centro Universitário de Maringá) e poeta desde a adolescência. Hising divulga suas poesias no blog “Dois a Um”, juntamente com um amigo de faculdade, Erick Gimenes, 19. O endereço do blog é blogdoisaum.blogspot.com.

Para Valéria Cardozo, 24, leitora de poesias desde a infância e formada em Letras pela UEM, a poesia é a expressão dos sentimentos do autor. “É a forma mais sensível e profunda de falar sobre seus ideais, desejos, paixões e angustias.” Segundo Cardozo, nada melhor do que uma boa leitura, ainda mais se tratando de poesia. “É muito bom poder compartilhar de sentimentos e emoções vivenciadas por escritores tão sensíveis. O poeta tem o dom de expressar e traduzir em palavras o que diz a própria alma”, disse.


Internet é alternativa
para novos escritores



Autores usam a web para mostrar os textos ao mundo;
não tem custo e é a forma mais acessível para muitos


Felipe Botion
A internet, além de instrumento de pesquisa e de comunicação, é ótima ferramenta para divulgação de trabalhos. A música é um exemplo: novas bandas usam a web para mostrar ao mundo novas canções. Mas isso não ocorre somente na música. Atualmente a internet vem sendo utilizada para novos escritores mostrarem seus trabalhos: textos, poesias e outros escritos.

Para um músico, a maior dificuldade é conseguir ser contratado por gravadoras. Já para um escritor, a dificuldade está em conseguir contrato com editoras. “O caminho para se tornar conhecido no mundo da poesia, é usar a internet. Atualmente é o meio mais fácil e mais barato para publicar um texto”, diz Olga Agulhon, presidente da Academia de Letras de Maringá.

Outra dificuldade enfrentada por novos escritores é a preferência das editoras pelas obras de poetas e escritores já consagrados. “Isso é um obstáculo muito grande para quem está começando”, declarou Olga.

Erick Gimenes, 19, estudante de Jornalismo e amante de poesias usa a internet para mostrar os textos que escreve. Ele começou a se interessar pela arte por influência dos avós. “Sempre gostei de qualquer tipo de arte. Meu avô era pintor e minha avó adorava ler. Foi a partir daí que a arte começou a me chamar a atenção”, disse o estudante. Sobre o blog Gimenes, disse que “é a forma mais acessível para mostrar meus trabalhos”. Ele já tem planos de publicar um livro on-line.

Para o professor e poeta Nailor Marques, a “literatura na web”, assim intitulada por ele, é algo muito importante para quem está começando no universo das poesias. “Quem coloca um trabalho legal na internet, coloca um trabalho legal para o mundo inteiro ver.”

Para ele, grande parte do reconhecimento que tem com os escritos é devido à rede mundial de computadores. “Eu consegui meu sucesso como palestrante por causa da internet. O que está na rede, está no mundo”, revelou o professor que tem diversos livros publicados.

Comente você também...

Nome: E-mail:

Mensagem

Se comentário não poderá ultrapassar os 500 caracteres.
Lembramos que seu comentário será analisado antes de ser postado.

  Últimas Notícias
Opinião
Um dos principais exames do país tem graves f...
Crítica
Muitas vezes assessores de imprensa deixam a ...
Crônica
Sem dizer absolutamente nada, ele demonstra e...
 

  Confira também
Opinião
Um dos principais exames do país tem graves f...
Crítica
Muitas vezes assessores de imprensa deixam a ...
Crônica
Sem dizer absolutamente nada, ele demonstra e...
Infome seu e-mail abaixo
 

+ Topo Home | Contato | Administrador | Sobre o Jornal