Cesumar - Centro Universitário de Maringá

Jornal Matéria Prima

 
  • Última Edição: #483 | 28/06/2018 - Ano XIX
 
Literatura | Edição #481 - 11/06/2018

Uma incessante busca pela felicidade

A grande busca por dinheiro torna as pessoas cada dia mais infelizes

Bruna Araujo
Estudante de Jornalismo

Comentários
 
Todos os dias, para todas as pessoas são iguais. Imagem/ Pixabay

Todos os dias, para todas as pessoas são iguais.
            Imagem/ Pixabay

Todos os dias é a mesma coisa. Levantamos cedo, tomamos um banho gelado para acordar, um café quente, pegamos um trânsito estressante e temos que ser produtivos. O dia todo. Depois disso, saímos tarde, vamos para casa, fazemos um jantar qualquer, algo prático porque estamos cansados, e depois cama.

Os dias passam e as pessoas não sorriem mais, não dão risada, não são felizes. As pessoas não vivem mais. É triste ver o anseio pelo dinheiro para se ter mais e mais e não se ter nada, além de dinheiro. Foi-se o tempo em que trabalhar era prazeroso, que os jovens escolhiam o curso por prazer e não por dinheiro. Foi-se o tempo que as pessoas ainda viviam e desejavam coisas simples.

A vida é feita de pequenos momentos 

Foi-se o tempo em que as crianças corriam descalças pelas ruas brincando. Foi-se o tempo em que olhar o céu em uma noite estrelada era um programa incrível e que as pessoas não estavam cansadas o suficiente para se deitar e observar. Foi-se o tempo em que o céu ainda era estrelado. Foi-se o tempo em que viver era algo bom.

Todos os dias, para todas as pessoas são iguais. Não vemos mais nada além de acordar cedo, trabalhar o dia inteiro em um escritório fechado, voltar para casa ao anoitecer, comer algo e depois dormir, porque no dia seguinte a rotina se repete.

Hoje falta coragem, falta vontade de se divertir, de sorrir, de mudar a programação, de amenizar o estresse fazendo algo diferente, saindo com os amigos, revendo a família aos fins de semana e comendo um churrasco para alegrar a vida. Falta humor nas pessoas para levar a vida mais leve, dar bom dia ao porteiro, correr no parque, brincar com o cachorro, ver um filme diferente ou um clichê mesmo que te faça rir.

A vida é linda, mas as pessoas não veem mais isso. A vida foi feitar para ser vivida e não apenas para existir em busca de dinheiro e achando que um dia ele irá te trazer felicidade. A vida é feita de pequenos momentos que se tornam grandes em nossas lembranças. É necessário uma mudança interna em cada um de nós, para que tenhamos mais gratidão por aquilo que temos, pelas pessoas que estão ao nosso redor e por toda e qualquer conquista, por menor que seja.

Discussão e comentários »

Não há comentários | Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copie a Senha gerada. *

* Digite ou cole senha aqui. *

32.117 Spam Comments Blocked so far by Spam Free Wordpress

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

sobre o autor

"It's not worth diving into dreams and forget to live" (Dumbledore)

ver mais posts do autor »

 

Notícias

 

Calendário

junho 2018
S T Q Q S S D
« mai   jul »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

galeria de fotos

Mark Twain Cazuza Mario Quintana

enquete

Você gostou das edições do JMP deste primeiro semestre?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
 

Jornal Matéria Prima é produzido por alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Cesumar - UniCesumar - na disciplina Técnica de Reportagem.

 

Publicado com WordPress / Laboratório de Notícias

Proibida a reprodução sem autorização do autor ou da Unicesumar

©2011-2018 Jornal Matéria Prima. Todos os Direitos Reservados.