Cesumar - Centro Universitário de Maringá

Jornal Matéria Prima

 
  • Última Edição: #483 | 28/06/2018 - Ano XIX
 
Política | Edição #474 - 16/04/2018

O trágico fim de um político emblemático

Lula surgiu como esperança nacional e termina condenado

João Henrique Belli
Estudante de Jornalismo

Comentários
 

Após políticos, operadores e até marqueteiros, a maior investigação de corrupção e lavagem de dinheiro que o Brasil já teve segundo o Ministério Público Federal, chegou ao ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva. Entre apelações e julgamentos, Lula foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex. Todo o julgamento e a condenação criaram uma guerra de narrativas sobre o caso do ex-presidente. Um lado apoia a decisão da Justiça e o outro compra o discurso de Lula, afirmando que existe perseguição jurídica contra o ex-presidente. Questionar a parcialidade de um juiz é entendível, porém acreditar em perseguição de todo um órgão colegiado é cegueira ou teimosia.                                                                                                         No momento a tentativa de salvação a Lula é o fim da prisão em segunda instância, boa parte do assunto na tentativa desesperada de Habeas Corpus no Supremo Tribunal Federal, foi à suposta inconstitucionalidade da prisão sem julgamento em todas as instâncias. Esse assunto é delicado já que só em 2016 o STF mudou o entendimento, se posicionando a favor da prisão em segunda instância. Essa decisão foi um tremendo acerto, afinal a Justiça Brasileira é demorada e nessa demora muitos casos prescreviam. Há inúmeros casos de réus que se enrolando no lento sistema Brasileiro ficaram impunes. Muita gente diz que o sistema no Brasil não funciona, mas ele funciona e muito bem, o problema é que a estrutura dele é montada para bandidos e se o intuito do sistema é livrar quem desrespeitou a lei, funciona perfeitamente.     Tentando se aproveitar de toda a pressão popular e de todas as brechas, o provável próximo passo da defesa de Lula é apresentar ao STF um recurso extraordinário, esse recurso questiona a aplicação correta da Constituição Federal no caso. A pressão no Supremo Tribunal Federal é grande, podendo fazer com que de alguma forma inesperada um ministro mude sua opinião sobre o caso Lula. Para o Supremo, não é necessário respeitar constituição, já que eles são os guardiões da justiça e brincam de deus.                                                                                                                                   Poder ilimitado nunca é saudável e se a população almeja um país justo, que se aumente o rigor das leis e independentemente de quem seja o réu, apoiar a investigação de quem agiu errado.

Discussão e comentários »

Não há comentários | Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copie a Senha gerada. *

* Digite ou cole senha aqui. *

31.917 Spam Comments Blocked so far by Spam Free Wordpress

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

sobre o autor

Um eterno desconfiado dos inteligentes bem resolvidos

ver mais posts do autor »

 

Notícias

 

Calendário

abril 2018
S T Q Q S S D
« dez   mai »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

galeria de fotos

Chico Buarque Mario Quintana Mark Twain

enquete

Você gostou das edições do JMP deste primeiro semestre?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
 

Jornal Matéria Prima é produzido por alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Cesumar - UniCesumar - na disciplina Técnica de Reportagem.

 

Publicado com WordPress / Laboratório de Notícias

Proibida a reprodução sem autorização do autor ou da Unicesumar

©2011-2018 Jornal Matéria Prima. Todos os Direitos Reservados.