Cesumar - Centro Universitário de Maringá

Jornal Matéria Prima

 
  • Última Edição: #462 | 18/09/2017 - Ano XVIII
 
Literatura | Edição #461 - 11/09/2017

No Brasil, hoje, até a sinalização é “coxinha”

Tudo é alvo da briga entre direita e esquerda, até placa de trânsito

Carlos Henrique Rosa
Estudante de Jornalismo

Comentários
 
(Imagem/ Carlos Henrique Rosa)

(Imagem/ Carlos Henrique Rosa)

Eis que certo dia, andando pela Avenida Colombo, ali na frente da Universidade Estadual de Maringá (UEM), me deparo com uma placa com a seguinte inscrição: “Direita Livre”. Nesse momento você poderia até parar para pensar coisas do tipo: “Ora, pra mim é uma simples placa de trânsito”. De fato seria. Seria, pois no momento atual do Brasil, qualquer coisa que remete às expressões “direita” ou “esquerda”, logo vira guerra ideológica. Bons tempos em que “direita” ou “esquerda” eram apenas duas direções, assim como o “abaixo”, o “acima” ou o “diagonal”…

Mas voltando ao assunto, ao ver essa placa, me lembrei de todas as vezes que uma pessoa, ao dizer defender uma política que olhe para os mais pobres, foi chamada de comunista, defensora dos “direitos dos manos” e de ditadores como Fidel Castro ou Kim Jong Un – e que deveria tentar a vida em Cuba ou na Coreia do Norte. Do mesmo modo, um defensor das liberdades individuais ou econômicas é logo classificado como “coxinha”, “pobre de direita”, “burro de carga dos empresários”, ou coisas do tipo.

Bons tempos em que “direita” ou “esquerda” eram apenas duas direções

E cuidado na hora de escolher suas roupas pra sair de casa. Se você estiver usando qualquer coisa que tenha a cor vermelha, dependendo do lugar, logo as pessoas te olham com cara feia – isso na melhor das hipóteses.  Até confundiram a bandeira do Japão com um símbolo comunista…  Mesma coisa quando você está andando com a camisa da seleção brasileira – a menos que seja dia de jogo do Brasil.

Parecem duas torcidas de times rivais, talvez até maior que a rivalidade de Grêmio e Internacional (considerado por muitos a maior do futebol brasileiro), cada um defendendo com unhas e dentes o seu lado, ou jogando a responsabilidade de um problema para o adversário. É assim quando o assunto é o nazismo. Enquanto o resto do mundo tem a convicção de que o regime foi cruel e assassino, a grande discussão por aqui é se o nazismo era de esquerda ou direita. Até a comida é alvo da discussão, com a coxinha sendo um prato da direita e o bom e velho pão com mortadela sendo o prato típico da esquerda. Daqui a pouco, ser canhoto será ser “comunista”, e a placa “direita livre”, “coxinha”…

Discussão e comentários »

Não há comentários | Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copie a Senha gerada. *

* Digite ou cole senha aqui. *

27.837 Spam Comments Blocked so far by Spam Free Wordpress

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

sobre o autor

"Lembre-se disso: Um dia a mais é um dia a menos, e vice-versa"

ver mais posts do autor »

 

Notícias

 

Calendário

setembro 2017
S T Q Q S S D
« dez    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

galeria de fotos

Mario Quintana George Carlin Mark Twain

enquete

Ejacular no pescoço de uma mulher, dentro de um ônibus, deveria ser considerado estupro?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
 

Jornal Matéria Prima é produzido por alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Cesumar - UniCesumar - na disciplina Técnica de Reportagem.

 

Publicado com WordPress / Laboratório de Notícias

Proibida a reprodução sem autorização do autor ou da Unicesumar

©2011-2016 Jornal Matéria Prima. Todos os Direitos Reservados.