Cesumar - Centro Universitário de Maringá

Jornal Matéria Prima

 
  • Última Edição: #470 | 10/11/2017 - Ano XVIII
 
Literatura | Edição #461 - 11/09/2017

Não pense em crise, pense em formigas

Esses insetos sempre são exemplo de união, mas são também de justiça?

Gabriel Amaral
Estudante de Jornalismo

Comentários
 
(Imagem/Freepick)

(Imagem/Freepick)

A formiga sempre obediente, disciplinada e companheira. Bom, companheira nem tanto, ela está mais para facilitadora, já que seu objetivo é claramente materialista. Ela tem sua relação de interesses. Alguns acham que a formiga é um exemplo de companheirismo, mas na verdade ela quer algo e sabe que só conseguirá trabalhando em equipe. Portanto ela se sacrifica e enfrenta o que for para fazer a sua parte. Trabalhadora, a formiga está sempre se esforçando, não critica, não pensa, não protesta, ela faz e pronto. Ela compartilha, esse é o acordo. Ela luta, se defende, ela quer viver para conquistar. E depois? Ela divide, é o combinado.

As formigas têm uma líder, ela tem sua função também, uma das mais importantes inclusive, a reprodução. As formigas são um bom exemplo de seres que se unem, formando quase um organismo só, todas iguais, todas com os mesmos desejos e manias.

A grande questão é: A formiga pode decidir sobre a própria vida?

A grande questão é: As formigas têm escolha? Elas podem decidir questões sobre a própria vida? Uma formiga pode cuidar de sua própria vida? Não, a formiga é aquilo que ela precisa ser, só mais uma, e é isso. Juntas elas fazem grandes coisas, é verdade,  mas o que elas desfrutam do seu próprio empenho? As formigas não têm prazeres para serem desfrutados durante a vida. O trabalho é tudo o que elas têm. Nem aposentadoria e nem falar sobre a crise. A comunicação se limita a ser somente profissional. Há quem diga que se tirar a substância que é responsável pela comunicação de uma formiga, as outras de seu formigueiro vão tratá-la como inimiga.

A divisão dos trabalhos é relacionada ao tamanho que têm quando nascem. As menores fazem tarefas mais simples e as maiores, tarefas mais pesadas, como defender o formigueiro. A respeito de gênero, são fêmeas que fazem tudo isso. Os machos só comem e descansam, para reproduzir na devida época com a rainha.

De que adianta tanta força sem poder ter liberdade de escolher o que fazer? Ser uma formiga é ser uma escrava da própria raça. Talvez sejamos individualistas demais para entender como é não se extinguir a todo custo.

Discussão e comentários »

Não há comentários | Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copie a Senha gerada. *

* Digite ou cole senha aqui. *

28.750 Spam Comments Blocked so far by Spam Free Wordpress

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

sobre o autor

Qualidade e sincronia.

ver mais posts do autor »

 

Notícias

 

Calendário

setembro 2017
S T Q Q S S D
« dez   out »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

galeria de fotos

George Carlin Mark Twain Mario Quintana

enquete

A Feira do Produtor é importante para Maringá?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
 

Jornal Matéria Prima é produzido por alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Cesumar - UniCesumar - na disciplina Técnica de Reportagem.

 

Publicado com WordPress / Laboratório de Notícias

Proibida a reprodução sem autorização do autor ou da Unicesumar

©2011-2016 Jornal Matéria Prima. Todos os Direitos Reservados.