Cesumar - Centro Universitário de Maringá

Jornal Matéria Prima

 
  • Última Edição: #483 | 28/06/2018 - Ano XIX
 
Literatura | Edição #463 - 25/09/2017

Aprendendo a viver sem o conto de fadas

Os desafios batem à porta e acabam nos obrigando a amadurecer

Laís Rocha
Estudante de Jornalismo

Comentários
 
A difícil e dolorosa escolha de uma jovem em morar sozinha  (Imagem/Pixabay)

A difícil e dolorosa escolha de uma jovem em morar sozinha
(Imagem/Pixabay)

No meu quarto escuro, meu pensamento me leva à loucura. Logo, coloco uma música baixinho e as lágrimas vêm a rolar lentamente em meu rosto. A saudade vem e aperta, sinto a falta de uma companhia e de um afeto, ninguém para conversar, ninguém para me ouvir. O silêncio sufoca e a solidão não quer ir embora. A TV ligada é a única companhia presente. A cada novo amanhecer, busco a liberdade em encontrar um caminho novo a seguir. O sonho de voar longe ainda se faz presente, mas o medo talvez seja a única coisa que tem me impedido de ser absolutamente livre.

Eu sei que a vida não é fácil e que tudo é passageiro, assim como aqueles momentos bons e os ruins também. Sei que é preciso enfrentar as batalhas que surgem no nosso dia a dia. É fechando os olhos que tento suavizar meus pensamentos a mil. O mundo é grande e quero conquistá-lo. Sei que estou sozinha agora, mas com os pés bem firmes no chão e com os passos lentos, aos poucos, vou trilhando o meu caminho.

O silencio sempre estará presente e a saudade nunca irá embora

Fazer a escolha de enfrentar o mundo não foi nada fácil. Saí de casa com as malas nas mãos, com o olhar aberto e a cabeça erguida, sem expectativas de voltar. Minha mãe me olhou e segurou o sorriso forçado até me ver partir. Em seguida, desabou a chorar.

A vida te mostra que as responsabilidades ficaram ainda maiores. A tarefa de dona de casa tem que ser feita, sem falar nas contas a se pagar. No começo você lava a louça na hora que quer, come quando bem entender, sem ter ninguém para ficar cochichando no seu ouvido. Parece que tudo é mil maravilhas, até a louça começar a crescer na pia e a comida estragar na geladeira. Quando decidi morar sozinha, sabia que estava fazendo uma escolha difícil, e foi, pois nada é perfeito.

O silêncio sempre estará presente e a saudade de casa nunca irá embora. Será que tomei a decisão correta? Se foi a escolha certa eu ainda não sei, mas tentei.  Nossos planos nunca serão como planejamos e sair de casa para morar em uma nova cidade, não foi fácil.  A coragem falou mais alto e tomou conta das minhas decisões.

Afinal, esse é o alto preço de viver longe de casa. Não adianta se questionar, o destino pede que embarquemos em nossas aventuras. Alguns vão, outros não, mas os que foram estão livres, voando como pássaros, descobrindo a liberdade e enfrentando os piores medos, sem ter o arrependimento de nunca ter tentado.

Discussão e comentários »

Não há comentários | Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copie a Senha gerada. *

* Digite ou cole senha aqui. *

37.050 Spam Comments Blocked so far by Spam Free Wordpress

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

sobre o autor

Uma jornalista em eterna formação

ver mais posts do autor »

 

Notícias

 

Calendário

setembro 2017
S T Q Q S S D
« dez   out »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

galeria de fotos

Cazuza George Carlin Mario Quintana

enquete

Você gostou das edições do JMP deste primeiro semestre?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
 

Jornal Matéria Prima é produzido por alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Cesumar - UniCesumar - na disciplina Técnica de Reportagem.

 

Publicado com WordPress / Laboratório de Notícias

Proibida a reprodução sem autorização do autor ou da Unicesumar

©2011-2018 Jornal Matéria Prima. Todos os Direitos Reservados.