Cesumar - Centro Universitário de Maringá

Jornal Matéria Prima

 
  • Última Edição: #483 | 28/06/2018 - Ano XIX
 
Economia | Edição #458 - 14/11/2016

Fracking é o temor para os brasileiros

Exposição a elementos químicos da fratura hidráulica do solo aumentará, resultado da multiplicação dos poços de petróleo

Rodrigo Lucas
Aluno de Jornalismo

Comentários
 
Imagem reprodução do site http://nãofrackingbrasil.com.br

Imagem reprodução do site http://nãofrackingbrasil.com.br

A fratura hidráulica, mais conhecida como fracking é uma técnica que possibilita a extração de petróleo do subsolo. O procedimento consiste na injeção, com pressão de algum material no terreno, com o objetivo de ampliar as fraturas existentes no subtrato rochoso que encerra o gás ou petróleo, favorecendo assim a saída do elemento para o exterior. Segundo uma reportagem publicada no site da revista Época, em setembro de 2015 como título “Você ainda não sabe, mas é contra o fracking”, nos países onde essa extração é realizada (China, Canadá, Estados Unidos e Argentina), há relatos  de contaminação de lençóis freáticos, vazamento de metano para poços artesianos e, em áreas dos EUA onde a tecnologia é usada para extrair petróleo, de poluição do ar.

Onde o fraturamento hidráulico ocorre não há água para consumo humano.

No Brasil apesar de todos os riscos inerentes ao meio ambiente, o governo federal considera o fracking uma “alternativa energética” e está empenhado em desenvolver no país essa tecnologia. Várias organizações se mobilizaram contra essa decisão. Uma delas é a 350.org, uma organização mundial que conecta ativistas ao redor do mundo, voltada ao combate do fracking e contra os estudos sísmico-geológicos. Dos 15 Estados brasileiros que estão na rota do fraturamento hidráulico, o Paraná é o primeiro na luta. Segundo o site da organização no Brasil, Nãofrackingbrasilem 2013 a Agência Nacional de Petróleo e Gás (ANP) realizou a  12º rodada de licitações e vendeu blocos para a exploração do gás de xisto que impactou diretamente cidades como Umuarama, Toledo, Foz do Iguaçu, Guarapuava, entre outras localizadas sobre os aquíferos Serra Geral e Guarani.

Segundo Xavier Querol, geoquímico e pesquisador do Conselho Superior de Investigações Científicas (CSIC), onde o fraturamento hidráulico ocorre não há água para consumo humano, o solo torna-se infértil para agricultura e são registrados severos problemas de saúde, como má formação congênita, esterilidade nas mulheres e homens, abortos e doenças crônicas respiratórias. Em Maringá, o movimento anti-fracking avança para levar a proibição as cidades que integram a região da Associação dos municípios do setentrião paranaense) Amusepe.

No País uma das alternativas que poderiam ser utilizadas para a não extração via fratura hidráulica seria apostar na energia eólica, que é renovável, esta permanentemente disponível, pode ser produzida em algumas regiões e não produz gases de efeito estufa durante a produção.

 

Discussão e comentários »

Um comentário | Deixe seu comentário

Valéria Reinert disse:

Autor coloca muita coisa de sites, e pouca ideia dele, poderia ter trabalhado com producao própria, pegou do site e colocou com outras palavras, mudando poucas coisas, achei que fosse entender o que é isso, mas pelo jeito nada, que pena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copie a Senha gerada. *

* Digite ou cole senha aqui. *

32.898 Spam Comments Blocked so far by Spam Free Wordpress

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

sobre o autor

Notícias

 

Calendário

novembro 2016
S T Q Q S S D
« out   dez »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  

galeria de fotos

Mark Twain Mario Quintana George Carlin

enquete

Você gostou das edições do JMP deste primeiro semestre?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
 

Jornal Matéria Prima é produzido por alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Cesumar - UniCesumar - na disciplina Técnica de Reportagem.

 

Publicado com WordPress / Laboratório de Notícias

Proibida a reprodução sem autorização do autor ou da Unicesumar

©2011-2018 Jornal Matéria Prima. Todos os Direitos Reservados.