Cidade | Edição #450 - 19/09/2016

Para pagar formatura, jovem vira empreendedor

Raul Fortunato Crevelim Fancelli, do Jardim Pinheiros III, é estudante e desenvolveu o próprio negócio aos 18 anos

Christian Presa
Aluno de Jornalismo

[1]

Em um ano, Raul já conta com a ajuda de três revendedores
(Imagem/Arquivo pessoal Raul Fancelli)

Empreender configura-se como uma das aspirações mais presentes na contemporaneidade. Segundo pesquisa publicada pela Revista Exame em 2013, 80% dos jovens brasileiros se veem como empresários nos próximos dez anos.

Na zona norte de Maringá, mais especificamente no Jardim Pinheiros III, um desses jovens é Raul Fortunato Crevelim Fancelli, de 18 anos, que começou a produzir e vender cones trufados para pagar a formatura do ensino médio. “Depois de um tempo, a formatura já tinha sido paga e este ano pude realizar o sonho de ter o meu negócio”, conta. O estudante de Administração na Universidade Estadual de Maringá (UEM) diz que a ideia surgiu a partir do convite de um primo, inspirado em pessoas que vendiam bombons para pagar a formatura.

Fancelli, que hoje conta com três revendedores, afirma que expandiu o empreendimento fazendo contatos. “Prezo muito pela divulgação boca a boca. Se faz um produto de qualidade, as pessoas vão recomendar.” O jovem também divulga via redes sociais (Snapchat e Facebook).

Os sonhos são muitos, quem sabe até tornar o cone mais popular que o bombom

Para o futuro, Fancelli é otimista e espera ainda mais crescimento. “Quero tirar a empresa de dentro de casa e aumentar cada vez mais a fabricação. Os sonhos são muitos, quem sabe até tornar o cone trufado mais popular que o bombom. Por que não?”

Ricardo Augusto Guirado, consultor empresarial e dono da The99 – Consultores Associados, descreve a atitude de empreender na era digital como um grande desafio e reconhece no jovem um forte perfil para inovar. “O jovem já está conectado porque isso é natural para ele. Muitas vezes ele busca empreender em negócios que têm um componente de inovação, de algo que ainda não existe no mercado.” Guirado destaca também a importância de analisar os segmentos de mercado e otimizar o atendimento. “O cliente está consumindo menos e está mais exigente.”

A empresária Veridiana Vasconcelos Duarte, docente em Empreendedorismo e Mercadologia no Centro Universitário Cesumar (Unicesumar) destaca a importância da atenção ao tema nas escolas e nas universidades. “Se a criança e o jovem vêm com essa cultura educacional, já estimula a entender a importância de planejar, porque tudo na nossa vida é à base do planejamento.” Veridiana explora na docência a atenção a todas as áreas ao criar um negócio e conta que muitos alunos se descobriram empresários. “Empreender é isso: você se descobrir em coisas que você achava que não tinha aptidão, formar grandes negócios e um futuro para o restante da sua vida.”


Artigo impresso de Jornal Matéria Prima:
http://www.jornalmateriaprima.com.br

Endereço para o artigo:
http://www.jornalmateriaprima.com.br/2016/09/para-pagar-formatura-jovem-vira-empreendedor/

Endereços neste este artigo:

[1] Imagem: http://www.jornalmateriaprima.com.br/wp-content/uploads/2016/09/2016-09-13-17.38.23.jpg

© 2017 Jornal Matéria Prima. Todos os Direitos Reservados.