Cesumar - Centro Universitário de Maringá

Jornal Matéria Prima

 
  • Última Edição: #483 | 28/06/2018 - Ano XIX
 
Esporte | Edição #439 - 23/05/2016

Empenho contra violência no futebol é de todos

O governo federal tem demostrado estar mais atento a essa questão, mas é preciso pulso firme também da CBF

Murilo Lima
Aluno de Jornalismo

Comentários
 
Imagem/Reprodução

Imagem/Reprodução

Na edição 437ª do Jornal Matéria Prima, o artigo “A violência no futebol precisa de ação política” afirma que não basta cadastrar torcedores ou restringir a entrada nos estádios para coibir a violência no futebol e sugere ações políticas. Mas isso já vem sendo feito. O governo tem demonstrado estar mais atento a esses acontecimentos dentro e fora dos estádios brasileiros. Um exemplo disso ocorreu no último dia 11 de maio com o lançamento de um guia padronizado para combater a violência no futebol. É uma espécie de cartilha que orienta as forças de segurança pública na atuação contra a violência entre torcedores.

O documento, apresentado pelo governo federal em parceria com os ministérios da Justiça e do Esporte, é resultado de cinco anos de pesquisas e dados, colhidos junto a secretarias estaduais e municipais com o auxílio das  forças de segurança e clubes.

O governo lançou um guia padronizado para combater a violência no futebol

A comparação feita pelo articulista do JMP com as medidas que baniram a violência do futebol inglês é válida, porém de pouco efeito sobre o futebol brasileiro. O fato ocorrido em Bruxelas feriu a imagem de uma instituição que cuida do futebol europeu, a Uefa (União das Federações Europeias de Futebol), que foi severa para solucionar de uma vez o problema com os hooligans na Europa.

No Brasil temos o caso do jogo entre Corinthians e River Plate pela Libertadores de 2006. As medidas naquela época para coibir a violência futuramente na competição não foram bem vistas por todas as esferas. O máximo que a Comebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) fez contra a equipe do Corinthians foi apenas tirar o mando de campo por um ano.

Não cabe só ao governo, portanto, estabelecer medidas conta a violência no futebol. O que se espera é pulso firme da entidade que controla o futebol brasileiro, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol). Atitudes como a da Uefa com os torcedores da Juventus e Liverpool, banindo as equipes das competições da entidade, ou, atualmente, em ligas nacionais na Europa, que em casos assim rebaixam a equipe no campeonato.

Com certeza o empenho para acabar com cenas terríveis no futebol é papel de todos.

Discussão e comentários »

Não há comentários | Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copie a Senha gerada. *

* Digite ou cole senha aqui. *

33.155 Spam Comments Blocked so far by Spam Free Wordpress

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

sobre o autor

Notícias

 

Calendário

maio 2016
S T Q Q S S D
« abr   jun »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

galeria de fotos

Mario Quintana Cazuza Mark Twain

enquete

Você gostou das edições do JMP deste primeiro semestre?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
 

Jornal Matéria Prima é produzido por alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Cesumar - UniCesumar - na disciplina Técnica de Reportagem.

 

Publicado com WordPress / Laboratório de Notícias

Proibida a reprodução sem autorização do autor ou da Unicesumar

©2011-2018 Jornal Matéria Prima. Todos os Direitos Reservados.