Cesumar - Centro Universitário de Maringá

Jornal Matéria Prima

 
  • Última Edição: #483 | 28/06/2018 - Ano XIX
 
Política | Edição #439 - 23/05/2016

A tropa de vítimas do Estado Islâmico

A guerra da Síria completa cinco anos e mais de 900 mil sírios já fugiram em busca de uma vida nova na Europa

Natalia Sanches
Aluna de Jornalismo

Comentários
 

Os refugiados deixam para trás tudo o que têm. Segundo dados da ONU (Organização das Nações Unidas), muitos usam uma rota perigosa, chegando a mais de 2,5 mil imigrantes que se afogaram no mar Mediterrâneo, vítimas de barcos superlotados, buscando chegar aos países da União Europeia. Ao chegar, comemoram, acreditando que já estão “salvos”, porém não é bem assim.

Refugiados na estação de trem em Viena, na Áustria (Imagem/ Natália Sanches)

Refugiados na estação de trem em Viena, na Áustria (Imagem/ Natália Sanches)

Em uma visita feita a Viena, na Áustria, pude observar claramente o preconceito e a falta de empatia dos austríacos em relação aos refugiados. Crianças, adultos e idosos, dormindo no chão da estação de trem da cidade, em um frio de zero grau. Eles eram impedidos de sair da estação. Prova disso, é a barreira que foi colocada por guardas nas bilheterias. Ou seja, ficavam presos na estação de trem, eram proibidos até de pegar táxi, mesmo oferecendo uma alta quantia.

Mas a questão é, qual a vantagem em manter os refugiados em uma estação de trem e não deixá-los partir? Era notório o desespero em que muitos se encontravam. Na Segunda Guerra Mundial foi cometida a mesma falha em relação aos judeus que também tentaram se refugiar em locais não dominados pelos  nazistas, mas a maior parte deles acabou não conseguindo o visto de entrada. Ficaram assim, entregues as autoridades nazistas. Parte da mesma história se repete hoje.

A intolerância de alguns países europeus em não aceitar refugiados os tem colocado em lugares fechados e isolados. Como fez a Hungria, que em um primeiro momento os colocou em um campo de internamento, para depois expulsá-los do país. Já na Alemanha, mesmo recebendo ajuda de boa parte da população, foram abrigados em um antigo campo de concentração nazista.

Mas a Alemanha vem ajudando, e muito, os refugiados, até mesmo por ser uma via de mão dupla. Enquanto ajuda, beneficia-se por ser um país com uma das populações que envelhecem e diminuem mais rapidamente. É benéfico para a Alemanha receber esse fluxo de famílias jovens, dispostas a trabalhar duro, além de reconstruir a vida.

Na Segunda Guerra Mundial foi cometida a mesma falha em relação aos judeus

Porém, devido  à crise econômica europeia, não há possibilidade de atender a todos pela falta de infraestrutura. A solução também seria criar um campo de refugiados na Síria, onde eles pudessem ficar em segurança, como já aconteceu com africanos em guerra, para que ao final, possam voltar para casa.

Discussão e comentários »

Não há comentários | Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copie a Senha gerada. *

* Digite ou cole senha aqui. *

37.133 Spam Comments Blocked so far by Spam Free Wordpress

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

sobre o autor

Les temps sont durs pour les rêveurs

ver mais posts do autor »

 

Notícias

 

Calendário

maio 2016
S T Q Q S S D
« abr   jun »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

galeria de fotos

Chico Buarque Mark Twain Cazuza

enquete

Você gostou das edições do JMP deste primeiro semestre?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
 

Jornal Matéria Prima é produzido por alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Cesumar - UniCesumar - na disciplina Técnica de Reportagem.

 

Publicado com WordPress / Laboratório de Notícias

Proibida a reprodução sem autorização do autor ou da Unicesumar

©2011-2018 Jornal Matéria Prima. Todos os Direitos Reservados.