Cesumar - Centro Universitário de Maringá

Jornal Matéria Prima

 
  • Última Edição: #483 | 28/06/2018 - Ano XIX
 
Literatura | Edição #436 - 02/05/2016

A história da garota não muito normal

Uma jovem, um cachorro e um gato; a vida contada metaforicamente por uma depressiva que falava, mas ninguém compreendia

Janaina Teixeira
Aluna de Jornalismo

Comentários
 
Imagem/Janaina Teixeira

Imagem/Janaina Teixeira

Era uma vez, uma garotinha que… talvez seja melhor não começar com “era uma vez”, já que uma história repleta de depressão e ansiedade pode não ter um final feliz como nas histórias encantadas. Então…havia uma garotinha que, desde pequena, as pessoas à sua volta percebiam que era diferente e precisava de um pouco mais de atenção. Em um dia qualquer, um cachorrinho esquisito, triste, apegado e abusivo apareceu para a criança. Não sabiam de onde ele tinha vindo, mas havia uma certa afinidade (para o bem ou para o mal) entre os dois.

Na adolescência, surgiu um gato. Carente e chato, agitado, inconveniente, que latejava na mente dela. Com os problemas da puberdade e as decisões, era uma eterna oscilação de emoções e sentimentos.

O cão e o gato ficaram maiores que a garota, assumindo espaços na vida dela de forma permanente. E como eles feriam a menina, ela precisou desenvolver maneiras de se acostumar com tudo aquilo. Na procura de ajuda disseram que eles não eram como os outros bichinhos por aí, eram diferentes, coisas raras.

Dizem que o amor tem o poder de curar tudo, então que amem e sejam amados mais

Era preciso tratar desses animais de maneira especial, seguindo conselhos, fazendo anotações. Assim que o cão começou a diminuir de tamanho, o gato foi mais insistente. Eis que do nada, o cachorro ficou sem aparecer por um bom tempo. O gato até que saía as vezes, mas voltava quase todos os fins de semana.

Mas nem tudo são flores. Um dia, no meio de uma ocasião complicada, aparece no portão da casa o cão e o gato, agora amigos fiéis, irmãos camaradas. Foi então que, a fim de se livrar desses dois, a moça começa a pensar na morte, ou na dela ou na deles. Todavia, ela descobriu que o cachorro era imortal e o gato só se controlaria com uma ração específica. Então ela tentou por uma, duas… dezessete vezes se matar, porque ela não estava conseguindo lidar com tudo aquilo.

Os amigos e a família acharam que era crise de identidade. Por que tirar a própria vida culpando animais indefesos? “Isso é coisa da sua cabeça… você está louca … só quer chamar atenção”, diziam.

Não entendiam que não era bem assim, que a realidade era outra. Os pets atrapalhavam de verdade a vida dela, era impossível ter uma rotina normal assim, era difícil conviver com alguém após um dos animais atacarem (ou os dois juntos). Foi necessário muito amor, pois dizem por aí que só o amor cura tudo. Sem um final eterno, mas com um possível “até que a morte os separe”, a história segue o caminho que a própria vida foi conduzindo.

Discussão e comentários »

Um comentário | Deixe seu comentário

Lorena Bastter disse:

Sou psicóloga há 14 anos e enquanto lia este lindo texto, fui imaginando vários ex pacientes que passaram por algumas das situações descritas. Muito lindo sua crônica, carregada de sentimentos e emoções, impossível ler sem ao final não se emocionar.
Parabéns pelo trabalho, irei levá-lo para minha clínica e inclusive nas aulas de Pós que leciono sobre doenças psíquicas. Parabéns Janaina, irei sempre acompanhar suas publicações, será uma ótima profissional.
Sucessos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copie a Senha gerada. *

* Digite ou cole senha aqui. *

33.442 Spam Comments Blocked so far by Spam Free Wordpress

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

sobre o autor

Notícias

 

Calendário

maio 2016
S T Q Q S S D
« abr   jun »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

galeria de fotos

George Carlin Cazuza Mario Quintana

enquete

Você gostou das edições do JMP deste primeiro semestre?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
 

Jornal Matéria Prima é produzido por alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Cesumar - UniCesumar - na disciplina Técnica de Reportagem.

 

Publicado com WordPress / Laboratório de Notícias

Proibida a reprodução sem autorização do autor ou da Unicesumar

©2011-2018 Jornal Matéria Prima. Todos os Direitos Reservados.