Cesumar - Centro Universitário de Maringá

Jornal Matéria Prima

 
  • Última Edição: #483 | 28/06/2018 - Ano XIX
 
Cidade | Edição #433 - 11/04/2016

No Borba Gato, vendedora é diariamente desafiada

De casa em casa, vendendo panos de prato, ambulante tenta compensar a perda do auxílio-doença, única fonte de renda

Natalia Sanches
Aluna de Jornalismo

Comentários
 
A timidez a impede até mesmo de permitir ser fotografada (Imagem/Natália Sanches

A timidez a impede até mesmo de permitir ser fotografada
(Imagem/Natália Sanches)

Quem a vê na rua, não imagina tudo o que ela enfrenta todos os dias. É nas ruas do conjunto Borba Gato, zona sul, que Maria de Lima, 50, passa os dias. Com roupas simples e se protegendo do sol com um boné, a vendedora ostenta um olhar de muitas decepções. A timidez é tanta que a impede até mesmo de permitir ser fotografada pela reportagem.

Engana-se quem pensa tratar-se de uma moradora de rua. Na verdade, Maria de Lima faz o mesmo trajeto todos os dias, tanto no Borba Gato como em outros bairros de Maringá, vendendo panos de prato.

Ela conta que foi criada pelos avós e começou a trabalhar aos 7 anos, pois se não trabalhasse, não comia. “Eu ia na roça, buscava água, comida para os trabalhadores e, por isso, não estudei. Tem gente que me vê na rua, maltratada, e acha que é efeito de cigarro, álcool ou até alguma droga. Não é. É maltrato da vida, dos problemas.”

Após uma anestesia mal aplicada na coluna, Maria perdeu o movimento das pernas por cinco anos, dependendo de uma cadeira de rodas. Mas, como ela mesma diz, com muita fé em Deus conseguiu voltar a andar, mesmo não aguentando carregar peso de cinco quilos. Após a “melhora” na saúde, perdeu o auxílio-doença, única fonte de renda que tinha na ocasião.

Tem gente que me vê maltratada e acha que é efeito de cigarro, álcool ou até alguma droga

De acordo com Ana Marchesini, estudante de direito que presta assistência jurídica a famílias de baixa renda o auxílio doença é um benefício concedido ao segurado que encontra-se incapacitado temporariamente. A duração do benefício é determinada por meio de perícia. “Já se a doença é irreversível, o segurado passa a ser considerado incapaz, fato que lhe garante a aposentadoria por invalidez.”

Por conta disso, Maria de Lima teve de começar a vender panos de prato nos bairros de Maringá, para tentar sobreviver e mesmo com essa “ajuda”, ganha no máximo R$ 40 por dia. No Borba Gato, ela já conquistou clientes. É o caso de Sandra Lasalle, 47 anos. “Sempre compro, pois são de qualidade e são úteis.  Sempre a vejo por aqui muito cedo, dá para perceber que batalha mesmo para conseguir viver.”

Mesmo que exista muita gente que queira ajudar a comprar os panos de prato de Maria, ela também é muito discriminada. “Tem gente que vira a cara, não responde. Me perguntam se eu não quero dinheiro para droga, beber. Uma vez eu estava chegando na UEM [Universidade Estadual de Maringá] e umas meninas jovens tiraram o sarro de mim. Só que na volta elas estavam vendendo droga. Isso não é pior?”, indaga.

Discussão e comentários »

Não há comentários | Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copie a Senha gerada. *

* Digite ou cole senha aqui. *

37.126 Spam Comments Blocked so far by Spam Free Wordpress

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

sobre o autor

Les temps sont durs pour les rêveurs

ver mais posts do autor »

 

Notícias

 

Calendário

abril 2016
S T Q Q S S D
« nov   mai »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

galeria de fotos

Cazuza Mario Quintana George Carlin

enquete

Você gostou das edições do JMP deste primeiro semestre?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
 

Jornal Matéria Prima é produzido por alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Cesumar - UniCesumar - na disciplina Técnica de Reportagem.

 

Publicado com WordPress / Laboratório de Notícias

Proibida a reprodução sem autorização do autor ou da Unicesumar

©2011-2018 Jornal Matéria Prima. Todos os Direitos Reservados.