Cesumar - Centro Universitário de Maringá

Jornal Matéria Prima

 
  • Última Edição: #483 | 28/06/2018 - Ano XIX
 
Tecnologia | Edição #395 - 14/08/2014

O mundo se tornou dependente da internet

A era digital pode melhorar nossa produtividade, tornar nossa vida mais simples, mas em excesso pode ser prejudicial

Amanda Guimaraes
Aluna de Jornalismo

Comentários
 

O monitor do computador se transformou em tela de televisão, basta um clique para assistir a tudo e na hora que quiser. Para pagar contas não é necessário enfrentar filas e para fazer compras não é preciso sair de casa. Tudo se tornou muito simples. O planeta movido à internet se tornou escravo da tecnologia. O primitivo computador da década de 1990 evoluiu e atualmente cabe na bolsa ou no bolso. Já somos aproximadamente 80 milhões de internautas brasileiros, segundo a última pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizada em 2013.

As pessoas estão se afastando do mundo real e encontrando na internet uma falsa solução para os problemas

A evolução da tecnologia foi tão rápida que nem nos demos conta de como a internet mudou nossa vida. O fácil acesso nos permite economizar tempo e energia para realizar diversas tarefas. Porém, o excesso de horas gastas na internet pode atrapalhar a concentração no trabalho, nos estudos e até mesmo na vida pessoal.

10566438_740827689310441_1992805845_n

Pessoas passam muito tempo na internet e deixam o lazer de lado (Foto: Luan Comitre)

Uma pesquisa realizada no ano passado,  da consultoria de gestão do tempo Triad PS, de São Paulo, com 4.100 profissionais, mostrou que 62% das pessoas que admitem adiar atividades, o fazem porque se perdem navegando na internet. O estudo ainda constatou que 25% dos entrevistados gastam até uma hora do trabalho com assuntos pessoais na web.

Obviamente os smartphones e computadores não podem levar a culpa pelo comportamento das pessoas. O problema está no uso que se faz dos aparelhos e aplicativos. As pessoas estão se afastando do mundo real e encontrando na internet uma falsa solução para os problemas, se se dar conta de que a rede pode viciar, como o cigarro e a bebida .

Nem nos demos conta de como a internet mudou nossa vida

Em 2011, um estudo britânico, realizado pelo Instituto de Pesquisa Intersperience, mostrou que 53% das pessoas entrevistadas sentem-se tristes quando ficam sem usar a internet e 40% sentem solidão, mostrando como os internautas estão ligados emocionalmente a essa atividade, como os fumantes ao cigarro e os alcoólatras à bebidas. 

É preciso tomar consciência e assumir o controle da vida digital. A internet também é uma forma de distração e é preciso saber usá-la e ensinar nossos filhos a navegar com discernimento, para que entendam que existem alternativas fora da rede, que vão além dos aplicativos propostos pela web.

Discussão e comentários »

Não há comentários | Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copie a Senha gerada. *

* Digite ou cole senha aqui. *

33.155 Spam Comments Blocked so far by Spam Free Wordpress

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

sobre o autor

Menina, mulher, namorada, mãe e estudante de jornalismo que busca encontrar na simplicidade a alegria de viver!

ver mais posts do autor »

 

Notícias

 

Calendário

agosto 2014
S T Q Q S S D
« jul   set »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

galeria de fotos

Mark Twain Cazuza Chico Buarque

enquete

Você gostou das edições do JMP deste primeiro semestre?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
 

Jornal Matéria Prima é produzido por alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Cesumar - UniCesumar - na disciplina Técnica de Reportagem.

 

Publicado com WordPress / Laboratório de Notícias

Proibida a reprodução sem autorização do autor ou da Unicesumar

©2011-2018 Jornal Matéria Prima. Todos os Direitos Reservados.