Cesumar - Centro Universitário de Maringá

Jornal Matéria Prima

 
  • Última Edição: #483 | 28/06/2018 - Ano XIX
 
Política | Edição #374 - 19/09/2013

O bizarro invade legislação do Brasil

Projetos de lei de combate à corrupção estão engavetados no Congresso e alguns paralisados há mais de 10 anos

Nádia Viviane
Aluna de Jornalismo

Comentários
 

Brasil, país que sofre os efeitos da corrupção, terra do povo que luta por mudanças sociais. A legislação brasileira é deficiente e falha em alguns aspectos, tais como a existência de leis que não são relevantes para aqueles que buscam melhorias na educação, saúde, transporte público etc. Algumas medidas que deveriam existir e entrar na pauta do Congresso, não têm a importância merecida.

As leis do País são feitas e fiscalizadas no Senado e na Câmara dos Deputados, que juntos formam o Congresso Nacional. Mas não são apenas os deputados e os senadores que podem criar uma lei.  Uma proposta pode ser apresentada ao Congresso pelo presidente da República, pelo Poder Judiciário,  procurador-geral da República e por iniciativa popular. Mas pelo jeito, nenhum deles consegue “dar conta do recado”.

O MCC (Movimento Contra a Corrupção) divulgou neste ano os principais projetos de lei que estão parados no Congresso Nacional, pois não são do interesse dos congressistas, e sim da população. Acabar com o foro privilegiado para todo e qualquer crime e reajustar os salários de servidores são alguns projetos que estão “engavetados”.

 

Projetos de lei não recebem a atenção devida pelos congressistas

Projetos de lei não recebem a atenção devida pelos congressistas

Reportagem publicada no mês passado pelo Portal “ Folha Política”, assinada por Dyelle Menezes ( http://www.folhapolitica.org) mostrou que 145 projetos de lei de combate à corrupção estão engavetados no Congresso.
O levantamento conta com 109 projetos de lei da Câmara dos Deputados e 36 do Senado federal.  O resultado já era de se esperar: a maioria dos projetos ainda não recebeu atenção devida e alguns estão paralisados há mais de 10 anos.

 

Leis improváveis

Na esfera municipal também alguns absurdos transcritos em forma de lei. Acompanhe alguns:

Abaixo à camisinha
Decreto Municipal 82/97 (Bocaiúva do Sul, PR) Data: 19 de novembro de 1997
Preocupado com os baixos índices de natalidade em sua cidadezinha de 9 mil habitantes, o então prefeito Élcio Berti proibiu a venda de camisinhas e anticoncepcionais. Tudo porque a prefeitura estava recebendo menos verbas do governo federal com o encolhimento da população. A maluquice gerou a maior gritaria e a lei teve de ser revogada 24 horas depois.

Fruto Proibido
“Lei da Melancia” (Rio Claro, SP) Data: 1894
A inofensiva melancia, quem diria, foi proibida em 1894 na cidade de Rio Claro, no interior de São Paulo. No fim do século 19, a fruta era acusada de ser agente transmissor de tifo e febre amarela, doenças epidêmicas na época. Com o tempo, a lei virou letra morta.
Fonte: Mundo Estranho

 

Discussão e comentários »

Não há comentários | Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copie a Senha gerada. *

* Digite ou cole senha aqui. *

37.240 Spam Comments Blocked so far by Spam Free Wordpress

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

sobre o autor

Aspirante de Jornalista e locutora. Apaixonada pelo rádio. Adora uma boa história.

ver mais posts do autor »

 

Notícias

 

Calendário

setembro 2013
S T Q Q S S D
« ago   out »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  

galeria de fotos

Cazuza Mario Quintana Chico Buarque

enquete

Você gostou das edições do JMP deste primeiro semestre?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
 

Jornal Matéria Prima é produzido por alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Cesumar - UniCesumar - na disciplina Técnica de Reportagem.

 

Publicado com WordPress / Laboratório de Notícias

Proibida a reprodução sem autorização do autor ou da Unicesumar

©2011-2018 Jornal Matéria Prima. Todos os Direitos Reservados.