Cesumar - Centro Universitário de Maringá

Jornal Matéria Prima

 
  • Última Edição: #483 | 28/06/2018 - Ano XIX
 
Cidade | Edição #362 - 06/06/2013

Rebaixamento da ferrovia leva benefício à Zona 6

Investimento do município na obra garante mobilidade e segurança aos moradores que usufruem das avenidas próximas

Renan Junior
Aluno de Jornalismo

Comentários
 

Desde que a prefeitura sancionou a solicitação para a continuação do rebaixamento da linha férrea na, Zona 6, região central, os moradores sentiram alívio, pois as avenidas que passam ao redor do bairro são essenciais para a ligação com o centro da cidade. Quando deu início a esse projeto, o rebaixamento aconteceria entre as avenidas Guaiapó e Dezenove de dezembro. Mais tarde, o projeto se estendeu para a rua Arlindo Planas, outra via expressa que corta o bairro, ligando a região ao outro lado da avenida Colombo.

“Progresso” da cidade, ferrovia rebaixada próximo à Zona 6

O projeto teve início em 2010, e os moradores estão satisfeitos. Por mais que, por muitos meses, houvesse o barulho e sujeira, agora tem segurança, ninguém transita pelos trilhos. “Antigamente, terminava a quadra, tinha apenas um alambrado que separava a rua da ferrovia e o único meio que se dispunha para passar do outro lado era pela avenida, que fica bem no começo do bairro. Mas alguns se arriscavam para não andar muito e passava pelos trilhos”, diz Cinthia Locatelli, 33, professora e moradora da Zona 6 há oito anos.

Precisava ser paciente para atravessar a avenida Mandacarú

Próximo da linha há dois colégios, que abrigam muitos estudantes moradores daquela região. Eles atravessavam a ferrovia diariamente. Segundo o aposentado Pedro Dias, 68, “esses jovens acham que têm muitas vidas, e com isso ariscavam-se brincando nos trilhos, sem medo de que a qualquer momento o trem poderia passar, porque só havia o sinal de que estava vindo, quando próximo à avenida Mandacaru tocava o sino”.

Quando a ferrovia passava pela avenida Mandacaru e interditava o trânsito que liga os bairros da região norte ao centro era um rebuliço. “Precisava ser paciente, às vezes os motoristas esperavam aproximadamente 20 minutos para que todo o trem passasse”, lembra Locatelli.

Com o rebaixamento da linha, moradores não apenas da região da Zona 6, mas todos que transitam por ali não sofrem mais com o trânsito parado por causa da passagem do trem, principalmente em horários de pico.

Discussão e comentários »

Não há comentários | Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copie a Senha gerada. *

* Digite ou cole senha aqui. *

37.872 Spam Comments Blocked so far by Spam Free Wordpress

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

sobre o autor

Radialista desde os 16 anos de idade. Apresentador, diretor e representante comercial na Rede T de rádios, a maior rede de rádios da Região Sul do Brasil.

ver mais posts do autor »

 

Notícias

 

Calendário

junho 2013
S T Q Q S S D
« mai   jul »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

galeria de fotos

George Carlin Mario Quintana Mark Twain

enquete

Você gostou das edições do JMP deste primeiro semestre?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
 

Jornal Matéria Prima é produzido por alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Cesumar - UniCesumar - na disciplina Técnica de Reportagem.

 

Publicado com WordPress / Laboratório de Notícias

Proibida a reprodução sem autorização do autor ou da Unicesumar

©2011-2018 Jornal Matéria Prima. Todos os Direitos Reservados.