Cesumar - Centro Universitário de Maringá

Jornal Matéria Prima

 
  • Última Edição: #483 | 28/06/2018 - Ano XIX
 
Economia / Tecnologia | Edição #353 - 04/12/2012

Compra e venda toma conta do Facebook

O site tornou-se ferramenta de comércio online, atraindo pessoas que buscam oportunidades de ganhar (e gastar) dinheiro

Thiago Bulhões
Aluno de Jornalismo

Comentários
 

Velhos conhecidos do público, os sites de relacionamento ganharam nova função com o tempo: a de ser espaço para compra e venda de produtos dos mais diferentes tipos. No Facebook, por exemplo, os grupos que reúnem gente atrás desse novo comércio aparecem em ascendência. Em Maringá, destacam-se cerca de dez grupos especializados em comércio via rede social, onde se encontra de tudo: importados, eletrônicos, roupas e até divulgação de encomendas para alimentos.

O empresário Michel Henrique Franco Carniel é fundador do “Classificados Maringá”, um dos mais movimentados grupos de compra e venda da cidade (com mais de 10 mil membros). Carniel lembra que, em princípio, queria apenas divulgar a empresa da qual é dono, no ramo da comunicação visual. “O Facebook dá a chance de a gente fazer divulgação de um jeito rápido, barato e dinâmico. Não tive nenhum retorno financeiro além das vendas. Mas estou aí para ajudar a galera.”

O grupo “Classificados Maringá”, nova tendência comercial. (Foto: Reprodução / Facebook)

Apesar das aparentes facilidades do comércio dentro dos sites de relacionamento, há quem não se deu bem com essa forma de compra e venda. A estudante Areia Ocampos, 21, anunciou a venda de um iPod Touch nos diversos grupos maringaenses. “Anunciei em vários grupos, mas não tive nenhum retorno. Até cheguei a conversar com alguns interessados, mas ninguém  quis comprar o iPod, de fato.” Apesar de não ter conseguido vender o aparelho, a estudante diz não ter perdido a crença nesses grupos. “Se precisar, volto a anunciar lá.”

O publicitário Marcelo Arado, 31, é outro exemplo de insucesso nas vendas dos grupos no Facebook. Há poucos meses, ele anunciou a venda da antiga bateria e, assim como Areia, não conseguiu vender. “Acredito que ninguém comprou a bateria porque o preço era muito alto e o público desses grupos é mais segmentado.” Arado ressalta que, apesar de não ter realizado a venda nos grupos, a divulgação proporcionada pela internet é importante. “Por isso, até voltaria a anunciar algum outro produto meu.”

O economista Ronaldo Bulhões, doutor em economia na gestão de negócios, explica que essa tendência de negociação é importante no desenvolvimento e ampliação do comércio eletrônico. Apesar disso, diz acreditar que esse sucesso não será suficiente para derrubar o já consolidado e-commerce. “Esse mercado do Facebook não tem garantias legais. A própria legislação da rede social proíbe esse tipo de negociação e comércio. É uma questão de tempo [para que os grupos acabem], até surgir um novo mercado que se adapte ainda mais às necessidades dos consumidores.”

Discussão e comentários »

Um comentário | Deixe seu comentário

Tiago disse:

Uma pena que todos os grupos de compra e venda estão com os dias contados,
bom ainda esta de oé o grupo Mercado Livre Indaiatuba

http://www.facebook.com/groups/mercadolivreindaiatuba/
compra venda troca, de tudo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copie a Senha gerada. *

* Digite ou cole senha aqui. *

33.155 Spam Comments Blocked so far by Spam Free Wordpress

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

sobre o autor

Aprendiz de jornalista viciado em revistas, fã de Madonna e defensor do Big Brother Brasil.

ver mais posts do autor »

 

Notícias

 

Calendário

dezembro 2012
S T Q Q S S D
« nov   abr »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

galeria de fotos

Mark Twain George Carlin Chico Buarque

enquete

Você gostou das edições do JMP deste primeiro semestre?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
 

Jornal Matéria Prima é produzido por alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Cesumar - UniCesumar - na disciplina Técnica de Reportagem.

 

Publicado com WordPress / Laboratório de Notícias

Proibida a reprodução sem autorização do autor ou da Unicesumar

©2011-2018 Jornal Matéria Prima. Todos os Direitos Reservados.