Cesumar - Centro Universitário de Maringá

Jornal Matéria Prima

 
  • Última Edição: #483 | 28/06/2018 - Ano XIX
 
Cidade | Edição #353 - 04/12/2012

“Ajudar o próximo nos torna mais generosos”

A arquiteta Mariana Estrope conta detalhes do projeto que coordena em Apucarana e que beneficia famílias carentes

Luiza Recco
Aluna de Jornalismo

Comentários
 

Mariana Mattiuzzi Estrope com crianças do "Fazendo o Bem" (Foto: Vinícius Tanaka)

Nunca é demais fazer o bem, doar um pouco do tempo para ajudar o próximo. São poucas as pessoas que se sensibilizam e mobilizam-se para isso. Uma delas é a arquiteta Mariana Mattiuzzi Estrope, 24, que decidiu criar este ano o projeto social “Fazendo o Bem”, com o intuito de ajudar famílias carentes de Apucarana (distante 65 km de Maringá). Em entrevista ao Jornal Matéria Prima, a jovem conta detalhes do trabalho voluntário que realiza com a ajuda de amigos e familiares, o que as pessoas acham da iniciativa em Apucarana e os planos da equipe para o futuro.

Há cinco meses você coordena o projeto “Fazendo o Bem” com o auxílio de amigos e pessoas da sua própria família. O desejo de ajudar outras pessoas sempre existiu?

Desde pequena aprendi com meus pais que deveríamos fazer algo a mais pelos outros. O ato de caridade sempre foi muito presente na minha vida. Graças à família, hoje sei a importância disso e faço a minha parte coordenando um projeto social que atende famílias carentes de Apucarana. Ajudar o próximo nos torna mais generosos.

Você comentou que a ideia de criar o projeto surgiu a partir de uma conversa com um colega. Hoje conta com uma equipe para a realização do trabalho. Mas, e lá atrás, quando tudo começou, o que seus amigos acharam da iniciativa?

Quando comecei a arrecadação de alimentos, fiquei surpresa com a quantidade de amigos que ajudaram com doações. O mais impressionante foi ver pessoas que eu nem conhecia, dispostas a ajudar com o projeto. Foi gratificante saber que muitos se sensibilizaram e passaram a apoiar o projeto “Fazendo o Bem”.

A jovem se diverte com a criançada em evento beneficente (Foto: Vinícius Tanaka)

E hoje, o que as pessoas acham de uma jovem tão engajada como você envolvida em uma causa tão séria?

Sempre recebo elogios e fico muito feliz de saber que esse trabalho está sendo reconhecido por tantas pessoas. Conheço outros jovens que têm tentado fazer o mesmo, mas que não conseguem por não ter suporte para levar a ideia adiante.

Apesar de ser recente, você percebeu algum retorno significativo que o projeto pôde proporcionar para Apucarana?

O mais importante para mim foi ver a união e colaboração de pessoas que nem conhecíamos e que decidiram abraçar a nobre causa em prol das famílias carentes. Achei maravilhoso.

O mais impressionante foi ver pessoas que eu nem conhecia, dispostas a ajudar com o projeto

Até hoje, desde o surgimento do projeto, quantas famílias foram beneficiadas?

Logo nos primeiros meses, começamos ajudando cinco famílias. No entanto, com o reconhecimento do trabalho que realizávamos e com os recursos que fomos conseguindo, passamos a ajudar muito mais pessoas. Atualmente, o projeto “Fazendo o Bem” está colaborando mensalmente com 11 famílias.

Além do envolvimento com projetos sociais, você também atua há dois anos como arquiteta. Como concilia a carreira com o trabalho voluntário?

Para ser sincera, coordenar um projeto social não é tarefa fácil. Há sempre muito que fazer e pouco tempo para realizar. Mas até agora estou conseguindo conciliar tranquilamente a profissão com o trabalho voluntário. Todos os integrantes do projeto sempre se propõem a ajudar e dão o máximo de si para que tudo dê certo no final.

Levando em conta a sua formação profissional, alguma vez você realizou algum trabalho especial que beneficiou uma instituição de caridade ou asilo de Apucarana?

Coordenar um projeto social não é tarefa fácil. Há sempre muito que fazer e pouco tempo para realizar. Mas tudo acaba dando certo no final

Sim, estou fazendo o projeto do banheiro feminino do asilo Lar São Vicente de Paulo. Hoje o asilo abriga aproximadamente 50 mulheres e não está em boas condições. Com a reforma, o banheiro estará dentro das normas da Vigilância Sanitária e dará condição de vida mais digna às senhoras que moram no asilo.

Tem notado algum envolvimento de pessoas mais novas, como você, em projetos sociais?

Sim, um colega meu está querendo desenvolver um projeto social assim como eu, mas em Maringá, no grupo Rotary. A ideia ainda está no papel, mas tenho certeza que no começo do no ano que vem ele já colocará em prática, pois é uma pessoa muito generosa e dedicada à causa social.

Além das doações mensais de cestas básicas e roupas, quais são as outras ações realizadas pela equipe para manter o projeto “Fazendo o Bem”?

Muitos dos nossos amigos ajudam com um valor mensal por mês, e com esse dinheiro compramos o restante dos materiais que faltam para completar a cesta. Além disso, ganhamos de uma empresa chaveiros personalizados com o nome da equipe, e de outra, camisetas com a logomarca do “Fazendo o Bem”. Todo o dinheiro que conseguimos com as vendas revertemos para ajudar mais famílias que participam do projeto.

Discussão e comentários »

11 comentários | Deixe seu comentário

valdes disse:

Ola, fico emocionado quando leio ou vejo pessoas envolvida com trabalho social, de tamanha importância para estas famílias que precisam muito de nossa ajuda. eu também a 4 anos trabalho com um projeto em minha cidade, mas com muita dificuldade, é muito dificel de encontrar parceiros para fazer obra social, o projeto chama se voluntários em ação resgatando vidas. mas parabéns pelo belicismo trabalho que vc realiza em sua cidade.

Mariana Mattiuzzi Estrope disse:

oi Valdes
realmente é muito dificil continuar um trabalho social, mas com fé e muita força não podemos desistir, pois essas pessoas precisam da nossa ajuda, não só com alimentos, mas principalmente com amor.
Bom trabalho!!!

Antonio Hannoun Filho disse:

Parabéns Mariana!
Que Deus continue a derramar suas graças e bençãos nessa sua caminhada!
Tenho certeza que, com sua atitude, estará servindo de exemplo para um mundo mais humano e fraterno.
Conhecê-la foi realmente um presente de Deus. Só não sabia que numa criatura tão pequena haveria um coração tão grande!

Mariana Mattiuzzi Estrope disse:

Obrigada Antonio!!!!!!
Fiquei emocionada com o seu comentário!!!!
Que Deus abençoe todos nós para continuarmos nessa caminhada!!!!!!

Heitor disse:

Parabéns pela matéria e Parabéns Mariana Estrope pela iniciativa e atitude!

Mariana Mattiuzzi Estrope disse:

obrigada Heitor!!!!!parabens a todos nós que estamos neste trabalho juntos!!!

Patricia Vasques disse:

Como é bom ver seu trabalho sendo reconhecido a cada dia, muito feliz por você!!! Que tudo isso se volte cada dia mais podendo ajudar cada vez mais.
Que Deus continue nos abençoando e nos dando mais força para continuar. Conte comigo sempre grande beijo!

Mariana Mattiuzzi Estrope disse:

obrigada amiga!!!!
simmm…parabéns pra todos nós…e que continuemos fortes para continuar nessa caminhada!!!

Cristina disse:

Parabéns filha, continue sempre assim, se preocupando com o próximo,pois se cada um fizer sua parte o nosso mundo com certeza será bem melhor….

Mariana Mattiuzzi Estrope disse:

obrigada mae!!!!!
aprendi isso com voce e com o pai!!!!
te amo!!!!

Mariana Mattiuzzi Estrope disse:

Obrigada por ajudar a divulgar o nosso trabalho!!!!Voce já faz parte da equipe!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

* Copie a Senha gerada. *

* Digite ou cole senha aqui. *

37.827 Spam Comments Blocked so far by Spam Free Wordpress

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

sobre o autor

Considerada pela turma como ‘extremamente organizada’. Sou persistente e muito dedicada.

ver mais posts do autor »

 

Notícias

 

Calendário

dezembro 2012
S T Q Q S S D
« nov   abr »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

galeria de fotos

George Carlin Mario Quintana Chico Buarque

enquete

Você gostou das edições do JMP deste primeiro semestre?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
 

Jornal Matéria Prima é produzido por alunos do curso de Jornalismo do Centro Universitário Cesumar - UniCesumar - na disciplina Técnica de Reportagem.

 

Publicado com WordPress / Laboratório de Notícias

Proibida a reprodução sem autorização do autor ou da Unicesumar

©2011-2018 Jornal Matéria Prima. Todos os Direitos Reservados.